Hesperian Health Guides

As grandes barragens prejudicam a saúde

Neste capítulo:

Uma barragem é uma parede construída através de um rio. As barragens são construídas para bloquear o fluxo de um rio e formar um lago artificial chamado reservatório. A água armazenada nos reservatórios pode ser usada para controlar as cheias, para disponibilizar água para irrigação e para beber, para produzir electricidade ou para recreação.

As barragens contribuíram para construir cidades modernas e melhorar muitas vidas. Mas as grandes barragens, com mais de 15 metros de altura e às vezes chegando a atingir 250 metros, também prejudicam as pessoas e a terra de muitas maneiras.

Como uma grande barragem levou o povo Yaqui a ficar doente
A man standing beside a dam.

Há muitos anos atrás, o povo Yaqui vivia da agricultura no clima quente e seco do norte do México. Graças ao seu rio, o Rio Yaqui, eles tinham água para a agricultura, para beber e para satisfazer as suas necessidades ao longo de todo o ano.

Tudo isto mudou quando uma barragem foi construída no seu rio. O governo mexicano concordou que metade da água da barragem pertencia aos Yaquis. Mas os Yaquis cedo descobriram que nenhuma água chegava às suas aldeias. Todo o rio tinha sido canalizado para um canal gigante para irrigar muitas grandes quintas industriais que produziam trigo e algodão. Estas grandes quintas cedo cercaram as aldeias Yaqui e o povo Yaqui ficou sem nenhuma água para as suas próprias culturas.

Para produzir trigo e algodão num solo desértico seco é preciso muita água, adubos químicos e pesticidas. Os pesticidas são pulverizados mais de 45 vezes nos meses entre o plantio e a colheita. Todo este veneno acaba por ir parar aos canais de irrigação. Com os rios desviados e sem outras fontes de água, os Yaquis bebiam a água dos canais. Com o passar dos anos, a água poluída levou -os a ficarem doentes.

Depois de anos a beberem água contaminada, as crianças Yaqui começaram a ter problemas em aprender, pensar, crescer e brincar. Muitas crianças também sofriam de problemas de saúde graves, como cancro do sangue (leucemia) e defeitos de nascença, como membros atrofiados e ossos fracos. O mais provável é que estes problemas de saúde fossem causados por beberem água e respirarem ar envenenados com pesticidas.

Os problemas de saúde do povo Yaqui começaram quando se construiu a barragem no seu rio.

As barragens causam problemas rio acima e rio abaixo

Primeiro, as barragens criam problemas para as pessoas que vivem rio acima em relação ao lugar onde o rio está ou vai ser bloqueado.

Deslocação e pobreza

As pessoas são deslocadas pelas barragens e forçadas a emigrar. Muitas acabam por viver em terras pobres ou em bairros de lata urbanos. Às pessoas que são deslocadas pode ser prometido dinheiro ou terras. Mas, muitas vezes, este dinheiro não lhes é dado pelos responsáveis locais. Com frequência, apenas as pessoas com títulos de propriedade válidos sobre a terra que vai ser alagada pela barragem recebem dinheiro ou outro terreno em troca. Outras vezes, a terra de substituição é demasiado pobre para a agricultura.

As vilas que vão ser alagadas pela barragem não recebem fundos do governo para manutenção e desenvolvimento, por isso, as escolas, as estradas e os serviços de saúde são negligenciados. Algumas vilas permanecem assim durante muitos anos antes de serem alagadas.

As barragens destroem o fluxo natural do rio. Elas causam um aumento ou uma diminuição do fluxo de água, conforme o tipo de barragem. O ciclo natural de inundação e seca pode ser perturbado, afectando todo o rio e prejudicando largas áreas de terra

Novos locais para os insectos se reproduzirem

Os mosquitos reproduzem-se nas águas pouco profundas e ensolaradas dos canais de irrigação e nas margens dos reservatórios. Elevar e baixar regularmente o nível do reservatório pode matar os jovens mosquitos. Mas, habitualmente, as pessoas que gerem as barragens não consideram que isto seja importante.

As moscas pretas que propagam a cegueira dos rios põem os seus ovos em água que corre rapidamente, como a água que sai de uma barragem. As águas paradas numa barragem e em projectos de irrigação são locais bons para a reprodução dos caracóis que transportam a bilharziose.

Erosão das margens dos rios e das planícies de cheia

WQuando uma barragem bloqueia um rio, bocados de solo e pedras são transportados pela água e assentam no fundo do rio e no reservatório, em vez de assentarem nas margens dos rios. Quando a água é esvaziada do reservatório, essa água não tem sedimentos. Como os sedimentos fazem parte do que torna a terra rica para a agricultura, as terras junto ao rio das zonas baixas tornam-se pobres. E como a água libertada da barragem transporta sedimentos consigo à medida que se desloca, ela causa erosão na terra e cava cada vez mais fundo no leito do rio.

A dam creates a reservoir with a village beside it and a flooded village in it.
Os construtores de barragens são oprimidos. Muitas vezes, têm fracas condições de trabalho, mau alojamento, má alimentação e pouco acesso a cuidados de saúde. Estas condições promovem doenças como a tuberculose e o HIV. Depois de uma barragem ser construída, eles têm que descobrir outro lugar para viver e trabalhar.
As barragens destroem as comunidades. As famílias que vivem na área do reservatório perdem as suas casas, terras e modos de vida. Muitas vezes, as pessoas deslocadas não são realojadas todas juntas. Habitualmente, as pessoas fi cam mais pobres depois de serem deslocadas.
Muitas vezes, os reservatórios são poluídos. Pesticidas, adubos e resíduos industriais podem acumular-se na água, tornando-a tóxica.
Os reservatórios criam outros problemas de saúde. Doenças como a malária e a bilharziose aumentam quando os mosquitos e outros insectos que transportam doenças se reproduzem nos reservatórios.
As barragens podem matar os peixes e destruir a pesca. Mudanças no fl uxo e qualidade dos rios podem destruir os peixes. As pessoas que dependem do peixe como alimento e fonte de rendimento sofrem.


Electric wires and a pipeline go from a village to a city.
As barragens tiram água às comunidades rurais. A água que antigamente era usada pelos camponeses rurais e pelas pessoas que pescavam é agora usada para gerar electricidade para as cidades e a indústria.
A produção agrícola reduz. As barragens alagam terras agrícolas produtivas e impedem o sedimento de fl uir rio abaixo para fertilizar as culturas. A água libertada das barragens pode levar consigo as hortas nas margens dos rios.
As barragens libertam água poluída. A má qualidade da água causa doenças às pessoas e animais que vivem rio abaixo.


Alternativas às grandes barragens

A prone man reaches for a glass of water; on his back are stacked 3 large sacks labelled "Flood control, Electricity,"and "Irrigation." Beside him are the words "for someone else."
Mas onde é que está a minha água?

Quando há planos para construir uma barragem, a primeira questão a pôr é: A barragem é necessária? As barragens são construídas para controlo das cheias, electricidade, irrigação e para fornecerem água às cidades em crescimento. Estes serviços podem ser fornecidos de maneiras menos danosas.

A segunda questão a pôr é: Quem é que vai beneficiar? Em todo o mundo, as comunidades que seriam prejudicadas resistiram à construção de grandes barragens e propuseram alternativas. Em muitos casos, eles estão a conseguir.

Controlo de cheias. Se possível, evite construir em planícies naturais de cheia e em pântanos. Melhore os sistemas de aviso, para ajudar as pessoas a prepararem-se para as cheias. Preservar o fluxo natural dos rios pode prevenir as cheias mais eficazmente do que construir barragens nos rios.

Electricidades. Encoraje os governos e os empreendedores a promoverem energia eólica, solar ou aquática de pequena escala que gera electricidade perto dos locais onde ela vai ser usada. A energia localmente gerida e controlada é mais sustentável para pessoas em cidades e vilas, bem como nas áreas rurais.

Irrigação. O desenvolvimento local dá mais segurança à água do que as grandes barragens. No estado de Gujarat, na Índia, milhares de pequenas barragens de controlo foram construídas para recolher água da chuva para uso na época seca e para voltar a encher as zonas de água subterrânea. O governo e os aldeãos partilham o custo destas barragens. Muitas aldeias que em tempos tinham água para irrigar os campos apenas durante metade do ano, agora têm água ao longo de todo o ano.

Se uma barragem é proposta ou construída na sua bacia hidrográfica

A long parade of people march across a river carrying signs which read "Water for People, Not for Profit," "We Won't Move,""It's Our Land," "No Dams," and showing fish skeletons.

As comunidades em todo o mundo têm estado a resistir a novas barragens, trabalhando para que as velhas sejam deitadas abaixo, e exigindo compensação em dinheiro e em terra pelos danos que sofreram com as barragens. Algumas comunidades também exigem mudanças na maneira como as barragens são controladas, para ajudar os rios a fluírem mais naturalmente e reduzir os danos que as barragens causaram.

Parceria entre tribos protege o Rio Yukon

No Alasca e no território Yukon na fronteira entre os Estados Unidos e o Canadá, o poderoso Rio Yukon corre ao longo de 3.700 quilómetros através de muitas vilas e aldeias. Como o rio está ameaçado pela contaminação, 60 comunidades indígenas assinaram um tratado em que concordaram em trabalhar como parceiros para manter o rio limpo para as gerações futuras. Eles formaram uma aliança chamada Conselho Intertribal da Bacia Hidrográfica do Rio Yukon.

O Concelho da Bacia Hidrográfica não começou por tentar limpar todo o rio. Eles começaram com pequenos projectos e objectivos claros. Um dos seus primeiros programas foi proibir o uso de sacos de plástico nas vilas ao longo do rio. Ao proibir os sacos de plástico, as pessoas ao longo do rio aprenderam que assumir responsabilidade pessoal podia fazer uma grande diferença na protecção da bacia hidrográfica.

A group of villagers are smiling as they watch an elder sign a treaty.

Depois de a proibição do uso de sacos de plástico ser bem-sucedida, as comunidades fizeram o mesmo em relação às pilhas usadas, combustível e carros avariados. Cada comunidade da bacia hidrográfica construiu um aterro e criou um recipiente para recolher pilhas, evitando que os venenos fossem para o solo e para a água. Depois, eles trabalharam para convencer as pequenas empresas de aviação, as empresas de navegação e as bases militares na área a eliminarem com segurança as pilhas velhas, os automóveis e o combustível.

Agora, os governos tribais do Yukon estão a melhorar os seus sistemas de esgotos e aterros e a criar programas para reciclar e reutilizar o lixo. Eles ensinam os jovens a testarem a água para ver se está poluída e a reconhecer os sinais de contaminação, de modo a preveni-la.

O Conselho Intertribal da Bacia Hidrográfica do Rio Yukon criou parcerias com os governos tribais, estatais, locais e nacionais no Canadá e nos Estados Unidos e com grupos ambientais e de protecção de bacias hidrográficas, agências financiadoras e conselheiros externos. Ao juntar muitos grupos, o Conselho da Bacia Hidrográfica foi capaz de fazer um plano que incluiu todas as comunidades da bacia hidrográfica e foi capaz de reunir suficientes recursos para fazer o trabalho.

Ao dar pequenos passos primeiro e grandes passos depois, o Conselho da Bacia Hidrográfica incentivou uma mudança lenta mas eficaz. Um membro do Conselho disse: “Quando eu era pequeno, bebia a água directamente do rio. Daqui a 50 anos, também vamos ser capazes de beber a água do rio novamente.”



Esta página foi actualizada: 23 fev. 2024