Hesperian Health Guides

Os pesticidas prejudicam o ambiente

Neste capítulo:

Os pesticidas não envenenam só as pessoas e as pragas. Eles também fazem mal a outras partes do ambiente.

Os pesticidas envenenam os animais tal como envenenam as pessoas, quando os animais os comem, bebem e respiram. Os pesticidas acumulam-se nos seus corpos e, quando os animais maiores comem os mais pequenos, a quantidade de veneno acumulado também se torna maior.

A woman speaks.
Um dia, na plantação de algodão, pulverizei umas térmitas com endosulfan. Mais tarde, um sapo comeu as térmitas que estavam a morrer.
Uma coruja atacou o sapo e depois sentou-se numa árvore a gozar a sua refeição. Dez minutos mais tarde, a coruja caiu e morreu.

Os pesticidas envenenam o solo o e matam os insectos, larvas, fungos e bactérias que ajudam a produzir os nutrientes que mantêm o solo vivo e fértil.

Os pesticidas envenenam a água quando escorrem para os rios. Eles matam os peixes e prejudicam os animais e as pessoas que bebem a água.

Os pesticidas envenenam o ar quando são arrastados pelo vento. Os pesticidas podem viajar muitos quilómetros a partir do lugar onde foram usados.

Como é que as pragas se tornam
resistentes aos pesticidas

Pesticide spraying over many dead and a few live insects on a leaf.
O pesticida mata a maior parte das pragas, mas algumas sobrevivem porque são resistentes.
Pesticide spraying over a few live insects on a leaf
As pragas que sobrevivem dão origem a mais pragas resistentes.
Pesticide spraying over many live insects on a leaf.
Em breve todas as pragas são resistentes e os pesticidas já não funcionam.

Resistência aos pesticidas

Há sempre algumas pragas que não morrem quando são pulverizadas, porque são mais fortes ou porque têm químicos nos seus corpos que bloqueiam o pesticida. Elas dão origem a outras pragas que têm a mesma força ou que não são afectadas pelos pesticidas. A isto chama-se resistência aos pesticidas. Cada vez mais pragas nascem com resistência e isso faz com que toda uma população de pragas resistentes já não possa ser morta pelos mesmos produtos químicos.

Então, as empresas de pesticidas criam pesticidas novos ou mais fortes para matar as pragas resistentes. E os camponeses compram os novos produtos químicos, gastando mais dinheiro em cada época. Em cada ano, o meio ambiente é envenado com mais produtos químicos, mais pragas se tornam resistentes e as empresas de pesticidas fazem mais lucro.

Apesar de os pesticidas poderem reduzir as perdas das culturas por causa das pragas durante algumas épocas, a longo prazo eles envenenam as pessoas, os animais, o solo e a água. O único benefício a longo prazo vai para as empresas que fazem e vendem pesticidas.

Os pesticidas matam insectos úteis

Nem todos os insectos são pragas. Muitos insectos são úteis para os camponeses. As abelhas fazem a polinização das plantas e fazem mel. As joaninhas atacam os insectos que estragam as culturas. Há mais insectos úteis do que há “pragas”. Mas os pesticidas habitualmente matam tanto os insectos “bons” como os insectos “maus”.

Por exemplo, quando um campo é pulverizado para matar o pulgão, o veneno também mata as aranhas e as joaninhas que comem o pulgão. Sem aranhas e joaninhas para os controlar, os pulgões regressam.


Esta página foi actualizada: 16 abr. 2024