Hesperian Health Guides

Capítulo 18: Resíduos sólidos: transformar um risco para a saúde num recurso

WikiSaúde > Guia comunitário de saúde ambiental > Capítulo 18: Resíduos sólidos

People interact while using a resource recovery center. Os resíduos sólidos designam-se por lixo, detritos, restos e por muitos outros nomes. Os resíduos sólidos não têm razão para causar problemas de saúde. Podem até tornar-se numa fonte de rendimento e em recursos para fazer novos produtos. Mas quando os resíduos sólidos não são recolhidos com segurança, separados, reutilizados, reciclados ou eliminados adequadamente, podem ser feios, malcheirosos e causar problemas de saúde graves.

Muitos de nós deitamos fora as coisas, assumindo que alguém vai, de alguma forma, cuidar do nosso lixo. Demasiadas vezes, são as pessoas mais pobres que são forçadas a viver dentro, sobre ou com os resíduos causados pelo resto da sociedade. E são os mais pobres que habitualmente fazem o trabalho de recolha, selecção, limpeza e reciclagem de resíduos transformando-os em recursos (recuperação de recursos). Embora todos concordem que este é um trabalho importante e necessário para proteger a nossa saúde e o meio ambiente, raramente as pessoas que o fazem são bem pagas ou tratadas com respeito.

Para gerir os resíduos de maneira a eles não fazerem mal às pessoas ou ao meio ambiente, precisamos de reduzir a quantidade de resíduos que criamos e transformar o que podemos em materiais e recursos úteis. Todos, mas sobretudo as indústrias e os governos, devem assumir a responsabilidade pelos resíduos que criam e evitar a criação de resíduos em primeiro lugar pelo uso de produtos que são reutiliszáveis, recicláveis ou transformáveis em adubo.

Como Eseng conquistou melhor saúde e respeito

Todos os dias, Eseng andava pela cidade de Bandung, na Indonésia, para apanhar lixo. Como a sua casa era longe dos bairros onde havia o melhor lixo, ele gastava quase todo o tempo a caminhar para a frente e para trás, transportando sacos pesados.

Todas as noites, Eseng seleccionava o lixo para vender aos negociantes no dia seguinte. Alguns negociantes compravam vidro, outros compravam sucata de metal, e outros compravam papel. Mas as coisas que os negociantes não compravam acumulavam-se à volta da casa do Eseng. O seu quintal tornou-se numa lixeira confusa e perigosa, mas não havia nenhum lugar onde o Eseng pudesse deitar fora o lixo. Às vezes, ele apanhava infecções que duravam meses e que dificultavam o seu trabalho. De vez em quando, Eseng ficava com febre alta e arrepios de frio de malária, porque os mosquitos se reproduziam nos pneus no seu quintal. E, apesar do seu trabalho duro, a polícia incomodava-o muitas vezes quando o via a seleccionar o lixo em frente de lojas e nas ruas.

A man sorts through trash.

Eseng e alguns outros apanhadores de lixo decidiram organizar um centro para os ajudar a vender o que recolhiam e a criar alguns benefícios através da partilha de conhecimentos, ferramentas e informação. Eles visitaram uma organização local que trabalhava para o meio ambiente e os direitos dos trabalhadores e, em conjunto, tiveram a ideia de desenvolver um programa mais completo de recuperação de recursos.

As pessoas da organização ambiental pediram ao governo da cidade que apoiasse o programa de recuperação de recursos e que fizesse com que a polícia e os donos das lojas tratassem melhor os apanhadores de lixo. O governo da cidade concordou e foi criado um centro onde Eseng e os outros podiam seleccionar o lixo que apanhavam. Cada um dos apanhadores de lixo recebeu um carrinho com rodas, que facilitava a recolha do lixo, o transporte para o centro, para selecção, ou a entrega directa aos negociantes de lixo.

O centro de recuperação de recursos deu luvas e botas para proteger os trabalhadores dos objectos cortantes e do lixo contaminado. Quando as pessoas da organização ambiental souberam que Eseng tinha malária, ajudaram-no a tratar-se e a obter medicamentos no posto de saúde.

Eseng ainda trabalha muito a apanhar lixo, mas a sua saúde melhorou e a sua casa já não parece uma lixeira. A polícia e os donos das lojas tratam-no, a ele e aos outros apanhadores de lixo, com o respeito que eles merecem por ajudarem a manter a comunidade limpa. E a cidade está orgulhosa do centro de recuperação de recursos e da sua cidade, mais limpa.



Esta página foi actualizada: 11 ago. 2022