Hesperian Health Guides

Novos alimentos, novos problemas

Os alimentos produzidos industrialmente, como os biscoitos embalados e niknacs ou chips, refrigerantes e outras bebidas engarrafadas, estão agora disponíveis em todo o mundo. Estes alimentos são muito comuns em áreas urbanas, e a maioria das pessoas das áreas rurais podem obte-los. A maioria das pessoas gosta do seu sabor doce ou salgado. Muitas vezes, gostamos tanto deles que os comemos ou bebemos todos os dias, e damos aos nossos filhos, em vez da comida verdadeira.

Batatas fritas, doces e coca-cola

Doces, refrigerantes, e niknacs ou chips têm muito sal, açúcar, gordura, conservantes químicos e corantes. Estes ingredientes pouco saudáveis causam problemas a medida que o tempo passa, como por exemplo cárie dentária, diabetes, doenças cardíacas e alguns tipos de cancro. Esses alimentos também têm falta de vitaminas, minerais, fibras e proteínas comparado com os alimentos produzidos localmente. Por isso, eles são chamados junk foods (comida rápida por exemplo niknacs ou chips, hambúrgers).

Latas de alimentos, sopa e macarrão embalados

O pão branco, alimentos enlatados, biscoitos e bolachas ou macarrão, fabricados industrialmente podem parecer tão saudáveis quanto as versões caseiras frescas destes alimentos. A publicidade diz-nos que eles o são, mas geralmente estão cobertos com muito açúcar, sal e produtos químicos. Eles não contêm os nutrientes que recebemos dos alimentos caseiros e são também junk foods, como os doces e salgadinhos embalados.

Duas mulheres comprando legumes frescos numa banca do mercado
Alimentos saudáveis provêm da terra não da fábrica.

Diabetes e doença cardíaca: doenças do novo sistema alimentar

Duas mulheres com excesso de peso sentadas, trabalhando numa máquina de costura

A diabetes e as doenças cardíacas são problemas de saúde causados pela mudança na forma como as pessoas comem e trabalham. Elas são raras nos locais onde as pessoas ainda se reúnem, crescem e cozinham a sua própria comida, e trabalham como agricultores ou artesãos. Mas, à medida que mais pessoas têm menos controlo do seu trabalho e estão limitadas em termos de exercício físico (trabalhando em fábricas ou a frente de um computador, por exemplo) e confiem mais em alimentos processados, essas doenças se tornam mais comuns. Elas não são causadas por germes, nem são contagiosas. Elas são causadas por falta de actividade, a confiança em junk food, e aumento do stress e da desigualdade em nossas vidas. Os nossos corpos não funcionam bem nestas condições.

A diabetes e as doenças cardíacas são muito diferentes, mas compartilham as mesmas causas. Muitas das formas de tratar e preveni-las também são as mesmas.

Um homem obeso

Diabetes

A diabetes é um problema em que o corpo não utiliza correctamente os açúcares dos alimentos. Ela pode levar à cegueira, perda de membros, coma ou até mesmo a morte. Para saber mais sobre os diferentes tipos de diabetes e como tratá-los, ver Diabetes (em desenvolvimento).

A diabetes tornou-se muito comum nos países ricos como os EUA, e agora está a tornar-se mais comum em todo o mundo. As suas causas, relacionadas com à alimentação incluem comer em excesso, comer alimentos pouco saudáveis e a falta de exercício. Onde quer que vão os alimentos fabricados, a farinha branca e os alimentos ricos em açúcar, a diabetes surge.

Doenças cardíacas e ataques cardíacos

  • A tensão alta
  • A doença cardíaca
  • O ataque cardíaco


As doenças do coração são um problema de saúde. A alimentação não saudável e a falta de exercício (junto com o tabagismo e stress) fazem a gordura a acumular-se no interior dos vasos sanguíneos. Como resultado, o coração tem que fazer mais força para bombear o sangue através destes vasos espessados provocando aumento da tensão arterial. O coração fica cansado e fraco com todo esse esforço. O sangue que não pode fluir livremente coagula-se, e o coração, exausto e sem fluxo de sangue, pára de funcionar, causando um ataque cardíaco.

(A doença cardíaca reumática é outra causa comum de doença cardíaca. Ela surge da febre reumática na infância).

Quatro meninas divertindo-se, jogando basquetebol

Tratamento e prevenção

Há muitas coisas que podemos fazer, como indivíduos e nas nossas famílias para prevenir e tratar a diabetes e as doenças cardíacas. Mas as mudanças a nível comunitário e nacional também são necessárias.

Exercício: Passeio rápido, dança, desportos, ou qualquer exercício que acelera a frequência cardíaca por 30 minutos ou mais por dia é necessário para que o corpo funcione bem. O exercício fortalece os ossos, dá uma sensação de energia, melhora o humor e ajuda a viver mais tempo. O exercício é um meio essencial para prevenir e tratar a diabetes e as doenças cardíacas.

Alimentos: Uma dieta com abundância de legumes frescos, cereais integrais e feijão é o melhor, tanto para a prevenção como para o tratamento das doenças cardíacas e da diabetes.

  • As carnes vermelhas, derivados do leite e ovos são alimentos saudáveis, mas, se consumidos em cada refeição, ou mesmo todos os dias, fazem com que seja mais provável o surgimento das doenças cardíacas por isso, coma-os algumas vezes por semana ou menos.
  • Doces e farinhas brancas não são necessários, e comê-los todos os dias pode levar a diabetes.
  • A gordura é necessária em pequenas quantidades, mas leva a doenças cardíacas e diabetes se consumida em grandes quantidades. A carne vermelha, óleo de palma, frituras e alimentos processados são as principais fontes de gordura não saudável. Tente comer menos desses produtos. Nozes, abacate e peixes são fontes saudáveis de gordura e fornecem também outros nutrientes, então são as melhores escolhas.
NWTND Nut Page 17-1.png
  • O sal também pode agravar a doença cardíaca se consumido em grandes quantidades. Se tiver doença cardíaca ou tensão alta, evite alimentos salgados, embalados. Os alimentos enlatados quase sempre contêm muito sal. Quando temperar os alimentos, use pouco de sal, ou ervas ou especiarias em seu lugar.

Refrigerantes e outras bebidas doces engarrafadas e enlatadas não são saudáveis. Elas são basicamente, apenas água e açúcar, com produtos químicos adicionados para dar cor e sabor. Beber estas bebidas todos os dias pode causar ou agravar a diabetes e provocar caries dentárias.

Se é obeso (gordo): Perder peso protege contra a diabetes e as doenças cardíacas. Perder peso de forma gradual é mais seguro do que perder muito peso num curto espaço de tempo. O mais saudável, a forma mais duradoura de perder peso é fazer exercícios com frequência (5 dias por semana ou mais) e fazer pequenas refeições. Procure evitar os alimentos não saudáveis acima mencionados.

Parar de fumar é uma outra maneira de viver mais e melhor. Deixar de fumar irá protegê-lo das doenças cardíacas, diabetes, e também de cancro. Para saber mais sobre os perigos do fumo, consulte Drogas, álcool e tabaco (em desenvolvimento).

A saúde é um assunto da comunidade

O que comemos e como vivemos as nossas vidas são em parte o resultado das nossas próprias escolhas, mas elas também são o resultado de que alimentos, emprego e habitação estão disponíveis e acessíveis. Podemos tentar desenvolver hábitos alimentares e de exercícios saudáveis, mas as nossas escolhas são muitas vezes limitadas. Por exemplo, o que queremos para comer e se temos tempo para preparar bons alimentos são o resultado de muitos factores que são difíceis de controlar por uma pessoa: a publicidade, como o nosso trabalho está organizado, e se temos acesso a água potável e a uma boa cozinha. Estas condições são compartilhadas por um grande número de pessoas e só podem ser alteradas por uma acção colectiva ou por meio de políticas governamentais.

Um grupo de pessoas com cartazes dizendo " Salvem as nossas machambas "e" Não aos alimentos caros importados

As acções para a mudança podem ter um foco estreito, como a proibição de refrigerantes e das bebidas doces nas escolas, ou o fornecimento de merenda escolar saudável para todos os alunos. As actividades podem ser de uma cidade como por exemplo as aulas gratuitas diárias de exercícios que são oferecidas pela cidade de Bangkok, na Tailândia, ou a história da Ciclovia que se segue. As políticas nacionais e locais podem ser feitas para favorecer os pequenos agricultores e os mercados locais, em vez de políticas que apoiam os lucros para as grandes empresas agrícolas. Para prevenir e tratar a diabetes e as doenças cardíacas com sucesso, as mudanças devem ser feitas a todos esses níveis.

Ciclovía

O povo de Bogotá, Colômbia (uma enorme cidade da América do Sul) estava cansado de vários perigos, ruas lotadas e ar poluído. Com a liderança do Presidente do Município com visão de futuro, eles exigiram espaços livres de carros e camiões na cidade para torná-la mais habitável para as pessoas. A cidade aboliu centenas de lugares de estacionamento, e foram construídos mais de 300 quilômetros de vias para bicicletas, e limitado o número de carros a circular nas estradas nas horas de ponta.

A invenção mais emocionante (hoje copiada em cidades ao redor do mundo) é a Ciclovia: Todos os domingos, as principais ruas estão fechadas para os carros. Ciclistas, patinadores, pessoas em cadeiras de rodas e peões assumem a cidade. Nos parques, aulas de dança e exercícios são oferecidos gratuitamente. As bicicletas são emprestadas sem custo.

Embora organizada para resolver um problema sério, a Ciclovia é divertida. É uma festa semanal a que todos da cidade estão convidados. As crianças e os avós dançam juntos nos parques e pessoas de todas as idades andam de bicicleta, skate e correm pelas ruas normalmente cheias de tráfego. É uma forma divertida de fazer exercício físico, conhecer os vizinhos e colegas de trabalho, e fazer novos amigos. É uma maneira diferente e melhor para se viver a vida da cidade.

No início, algumas empresas foram contra a ideia, porque achavam que iria criar engarrafamentos e interferir com os negócios. Mas a Ciclovia é tão popular que eles pararam de reclamar. Agora, as pessoas em Bogotá estão procurando outras maneiras de tornar a cidade mais segura, mais saudável e mais divertida, 7 dias por semana.

A large group of happy people cycling, walking, running, and using wheelchairs in the street